31 de out de 2009

Poesia Vista


Está na hora de se livrar das máscaras

E Você anda Apenas Pelas Calçadas


Para Mudar
Alexandre Ferreira (AlxSeth)

Lá se vai a chuva dando lugar ao sol
A água reflete seu rosto sujo de lágrimas
O céu tenta se apresentar belo a você
Mas apenas o chão chama seus olhos

Aqui está o caminho das flores
E você anda apenas pelas calçadas
As flores tentam encontrar seus olhos
Mas você só vê a pedra que seu pé chuta

Já se foram os tempos obscuros
Em que viver era uma missão
Agora a luz busca um lugar em seus olhos
Mas você insiste em ficar com eles fechados

Assim passarão os dias de vida
Eternas histórias de sorte
Assim pode acontecer
Para mudar... Assim será?

30 de out de 2009

Razão, Do Que me Serves o Teu Socorro?


Insuficiência dos Ditames da Razão contra o Poder de Amor
Bocage

"Sobre estas duras, cavernosas fragas,
Que o marinho furor vai carcomendo,
Me estão negras paixões n’alma fervendo
Como fervem no pego as crespas vagas:

Razão feroz, o coração me indagas,
De meus erros a sombra esclarecendo,
E vas nele (ai de mim!) palpando, e vendo
De agudas ânsias venenosas chagas:

Cego a meus males, surdo a teu reclamo,
Mil objetos de horror co’a idéia eu corro,
Solto gemidos, lágrimas derramo:

Razão, de que me serve o teu socorro?
Mandas-me não amar, eu ardo, eu amo;
Dizes-me que sossegue, eu peno, eu morro."

Citação do Dia

"Mesmo a mulher mais sincera esconde algum segredo no fundo do seu coração."

Immanuel Kant (Filósofo alemão)

Está Tudo bem, Acho que Sempre Foi Assim


O Rock Acabou
Moptop

Está tudo bem, acho que sempre foi assim
Nada pra sentir, espero outro dia vir
Eu quero te ligar, eu quero algo pra beber
Algo pra encher, algo que me faça acreditar

Sempre ausente, me faz sorrir
Sempre distante, dorme aqui

Enquanto você se produz
Eu vejo o que não vê
Crescer para que?
Ser e esquecer
Eu corro contra a luz
Eu fujo sem entender
Vencer para que?
Ser e esquecer

O rock acabou melhor, melhor ligar sua TV
Ela nunca está, ela nunca vai entender
Eu gosto da sua saia assim, vem deitar perto de mim
Verdade eu não me importo, quero um amor que não sei mais sentir

Sempre ausente, me faz sorrir
Sempre distante, dorme aqui

Enquanto você se produz
Eu vejo o que não vê
Crescer para que?
Ser e esquecer
Eu corro contra a luz
Eu fujo sem entender
Vencer para que?
Ser e esquecer

assombram o Futuro Que Pode Não Vir


Tudo Morre
Alexandre Ferreira (AlxSeth)

Foco os olhos nos velhos retratos
Queimam de paixão as sombras
Assombram o futuro que pode não vir

E o que seremos quando o sol se pôr?
E o que faremos quando tudo se for?
O sangue seca nas veias e mata de sede
O pulmão sem ar, os ossos sem força

O vento sopra sinfonias de terror
Porta-voz da destruição
Desnutrição da bela causa
Destruição da falha causa

Aqui e agora morrem jovens
As esperanças e anseios
Os olhos se fecham e mudam o foco
Fogo...

21 de out de 2009

Poesia Vista





Jacques-Louis David

20 de out de 2009

Oh, Can´t anybody see?

Bem, para quem já conhecia a famosa animação do Tim Burton : Vincent (1982) aqui vai uma versão com o cover que o My Dying Bride fez do Portishead: "Roads" é melancólica o suficiente para ter me feito chorar ao ver este vídeo pela primeira vez.
Apreciem.




Postado por Red Zeita.

Eyes...



Vemos o que podemos ou o que queremos?

Postado por Red Zeita

7 de out de 2009

Me Deram Uma Maçã Para Lembrar a Morte


O Fim do Mundo
João Cabral de Melo Neto

No fim de um mundo melancólico
os homens lêem jornais.
Homens indiferentes a comer laranjas
que ardem como o sol.

Me deram uma maçã para lembrar
a morte. Sei que cidades telegrafam
pedindo querosene. O véu que olhei voar
caiu no deserto.

O poema final ninguém escreverá
desse mundo particular de doze horas.
Em vez de juízo final a mim me preocupa
o sonho final.

Poesia Vista





Então ouvi a terceira Criatura:"Venha" e apareceu um cavalo baio,o nome do cavaleiro era Morte e o inferno o seguia de perto.

Um Brilho Intenso, Eu Quero um Beijo


Lisbela
Trio Forrozão

Eu quero a sina de um artista de cinema
Eu quero a cena onde eu possa brilhar
Um brilho intenso, um desejo, eu quero um beijo
Um beijo imenso, onde eu possa me afogar

Eu quero ser o matador das cinco estrelas
Eu quero ser o Bruce Lee do Maranhão
A Patativa do Norte, eu quero a sorte
Eu quero a sorte de um chofer de caminhão

Pra me danar por essa estrada, mundo afora, ir embora
Sem sair do meu lugar

Ser o primeiro, ser o rei, eu quero um sonho
Moça donzela, mulher,dama, ilusão
Na minha vida tudo vira brincadeira
A matinê verdadeira, domingo e televisão

Eu quero um beijo de cinema americano
Fechar os olhos, fugir do perigo
Matar bandido, prender ladrão
A minha vida vai virar novela

Eu quero amor eu quero amar
Eu quero o amor de Lisbela
Eu quero o mar e o sertão

Buscas... (História de Eterno Vermelho: Parte 4)


Eu busco seu corpo todo dia que acordo, seus olhos apesar de fechados, continuam acordados, você dorme como a mais bela das princesas, você respira meus sorrisos, você preenche minhas noites de calor, você dorme tão silenciosa... Meu corpo agarrado no teu, o cheiro dos seus cabelos, seu corpo todo no meu...Você dorme tão silenciosa... Aperto você contra o eu, para ter certeza que você me quer tão perto quanto eu a quero tão perto. Eu sou um poeta que de doenças não vive mais, vive do vermelho vivo e sangrento dos seus cabelos, do branco limpo e belo da sua pele, do gosto doce e quente da sua boca. Vivo de você... A mulher que eu procurei por versos já perdidos, que busquei nas estrofes de poesias alheias, nas páginas de livros espalhados pelo meu quarto. A mulher que completa as poesias, que torna viva cada linha, que preenche cada verso, que pinga de cada uma das estrofes, que transborda de cada palavra amorosa, doce... Você é tão doce... Eu sou tão nada, cantando palavras a lua dourada, falando de amor para as paredes, escrevendo em palavras erradas tudo aquilo que grita dentro da minha cabeça. Só tenho textos e poesias pra te dar, armadas de palavras rasamente fundas, simplesmente suas, palavras minhas, mas suas, só tenho palavras pra lhe cantar, histórias pra contar, sinais para ditar e sonhos para sonhar, só isso posso te dar... Busco os jardins onde florescem as árvores com as suas palavras, eu busco seus olhos, sua boca, suas poesias, seus sorrisos.

Eu busco me encontrar em você e te encontrar em mim, sempre assim, que seja sempre assim.