31 de mar de 2010

Ao Fim Definitivo (Decepção, Parte Final)


É tanta decepção que eu mal consigo escrever, essa é a última parte da série, o último texto dedicado a mais uma pessoa que provou não valer a pena, os últimos versos jogados pra quem não merece e nunca vai merecer um outro perdão.
O sorriso me ergueu a cara de tal modo que até minha familia comentou, meus amigos gritaram... "Quando você estiver mal, olhe a sua aliança e fique feliz de novo..."
O quanto vale um anel no seu dedo? Pelo visto não vale sua sinceridade, seu amor... Talvez não valha nada.
Não sei se te desejo mal ou bem... Talvez te deseje o nada, o vazio dos dias solitários, das culpas eternas que nos abrem feridas cada vez que decidimos lembra-las, te desejo aquela velha cadeira de balanço que te leva pra trás e pra frente nas suas memórias e que te lembra o vazio daquele futuro que você mesma destruiu.
E o que ganhei com aquelas poesias dedicadas a você, foi a sua traição, o seu desprezo... Você conseguiu me ensinar que viver de sonhos é coisa de criança, que os adultos precisam viver de realidade e que ela é totalmente diferente daquilo escrito em poesia.
Eu fui seu poeta, te entreguei tudo aquilo que havia de mais puro no meu sangue, eu te chamei de deusa, eu te pedi em casamento e te prometi sinceridade e sinceridade respirei a cada palavra que dizia a você.
Não me arrependo de ter passado por tudo o que passei, me arrependo de ter deixado o amor me fechar os olhos em cada perdão que eu dava a você. As pessoas são imutáveis, as pessoas são a mesma coisa.

Você diz estar cavando a sua própria cova, espero que suas mentiras te enterrem muito bem.
Longa vida, longa culpa...

30 de mar de 2010

Ferindo A Cabeça Com Coisas Que eu Disse


I Started A Joke
Bee Gees (Letra Original em Inglês)

Eu comecei uma piada
Que fez o mundo inteiro chorar
Mas eu não ví
Que a piada era sobre mim

Eu comecei a chorar
O que fez o mundo inteiro rir
Oh, se eu apenas tivesse visto
Que a piada era sobre mim...

Eu olhei para o céu
Passando as mãos sobre meus olhos
E eu caí da cama
Ferindo a cabeça com coisas que eu disse

Até que eu finalmente morri,
o que fez o mundo inteiro viver
Oh, se eu apenas tivesse visto que a piada era sobre mim...

Eu olhei para o céu
Passando as mãos
Sobre meus olhos
E eu caí da cama
Ferindo a cabeça com coisas que eu disse

Até que eu finalmente morri,
O que fez o mundo inteiro viver
Oh, se eu apenas tivesse visto que a piada era sobre mim...
Oh não! Que a piada era sobre mim...
Oooh...

Fontes Forjadas


Realidade em F
Alexandre Ferreira

Fui ferir-te
Fazendo-a Feliz
Finados Favores
Feridas Febris

Fracos Fomos
Fizeram-nos Fortes
Foi-se, Fim
Faça, Fim

Facas Fincadas
Fontes Forjadas
Festas Fechadas
Fatos Falados

Finda-se Feliz
Favor Final
Feridas Febris
Ficam, Fim

15 de mar de 2010

Me Tranco Aqui, me Farto


Fuga
Alexandre Ferreira (AlxSeth)

Quero fugir desse mundo,
Ir sozinho e mudo
Viver meus sonhos n'outro lugar.
Morrer de tanto amar,
Beber das flores e me banhar no mar.

Fujo dessa história mal contada,
Das horas que continuam paradas,
Da Multidão que luta armada.
Fujo por essa velha estrada
Tão solitária, sincera e gentil,
De encontro ao meu lugar infantil.

Mas tudo não passa de ilusão,
Vivo nesse incrivel mundo cão
Secandos os olhos com a mão.

Mais uma vez acordo de um sonho.
Pinto as paredes do quarto,
Me tranco aqui, me farto
Da minha realidade solitária!
Minha realidade sonhada!
Abro a porta, tudo que é nele, não é aqui fora...
E tudo se fôra.

13 de mar de 2010

Teatro de Rua


Hoje eu resolvi escrever algo feliz, e percebi que escrever sobre felicidade é mais dificil do que escrever sobre tristeza. Tentei dar um sentido diferente as palavras que sempre escrevo, elas soam sempre com o mesmo tom, o som que não muda...
Vesti uma roupa leve de cor branca, treinei um sorriso na frente do espelho, fiz piadas tão péssimas que nem eu ri... Relembrei os filmes de comédia que vi e tentei mais uma vez convencer o meu reflexo de que eu tinha talento para o stand-up. O reflexo riu, mas não das piadas que contei e sim do papel de idiota que eu estava fazendo. Desisti, resolvi dar uma volta pelas ruas...
Olhei o rosto das pessoas e percebi que muitas delas pareciam preocupadas ou tristes e as poucas que pareciam alegres, não contagiavam o resto. Pensei que era uma cidade triste, estranhamente isso me alegrou, sendo a cidade triste eu não conseguiria me sentir um peixe fora d'água, pela primeira vez, senti que eu era parte dessa sociedade... A sociedade que multiplicou os pierrôs e tem os arlequins escondidos pelos cantos.
O sorriso brotou em minha boca de forma natural, cumprimentei as pessoas, dei dinheiro a um malabarista, ajudei uma senhora a atravessar a rua, eu me sentia bem, me sentia parte da sociedade, essa sociedade triste me abraçava e eu lhe dava um beijo molhado e sorridente no rosto...
Andei pelas ruas de uma forma que nunca havia andado, aproveitei o asfalto, aproveitei as construções, não tossi com a fumaça cuspida pelos carros, eu consegui ter um bom passeio.
Abri a porta de casa, e toda a escuridão nela trancada bateu em mim com força, fui para o espelho e me xinguei de hipócrita, de mentiroso e de idiota. O reflexo me olhou abismado, deu uma risada sem graça e me disse tranquilamente.
- Todos os outros que como você sorriam, todos eles estão agora chorando em suas casas. Não há quem tenha motivos pra sorrir sinceramente pelas ruas... Não se confunda, você é o que é, e todos são o que você é... Tristeza.
E as cortinas do meu dia se fecharam. Ser ator é fácil, todos são.

10 de mar de 2010

História D'outro Ponto (Decepção: Parte 2)


O telefonema o deixa feliz, encontro uma da tarde, nada como dar uma nova chance ao amor. Ela chega nervosa, se mostra chorosa e o arrependimento lhe bate nos olhos antes mesmo de ter algo pelo qual se arrepender. O amor é agente do caos nesse mundo perverso em que vivemos hoje, o amor, aquele dos velhos contos-de-fada existe hoje apenas para musas idealizadas, pessoas reais não merecem amor. O beijo aconteceu sem mais delongas, tenho tanta saudade daquela certeza que fez meu peito se fortalecer. Aquele sol que se guardou sorridente, aquela saudade tola que invadiu minha mente, de repente... Veio então toda a confusão que se inicia com uma relação que começa não devendo existir.
Soltou-lhe os braços dizendo que não o amava mais, que tudo tinha passado, que viver meia vida não faz ninguém feliz... Jogou-se aos meus braços gritando amor e eternidade, dizendo que me queria por inteiro e sem problemas, que queria alegria que viveria vida inteira sendo minha.
Acreditou... Não fez nada além de acreditar, se arriscar, suportar e viver o sorriso que lhe nascia na boca. Assim seguiram-se os dias, semanas e meses... Assim seguiram-se até ela, aquela que jurou-lhe fidelidade, que buscava em seus braços conforto, que dizia não mais amar o outro, que vivia dele afastada, desligada... Assim foi, até ela lhe dar o veneno da decepção.

Hoje o amor não passa de palavra bonitinha, dita da boca pra fora por qualquer um que vive, o tempo e as pessoas apagaram a importância da palavra amor.

E ainda lhe perguntam qual o motivo que faz suas poesias serem tão negras...

6 de mar de 2010

Tente Contar a Verdade


A Beautiful Lie
30 Seconds to Mars (Letra Original em Inglês)

Deite na cama à noite
E pense sobre a sua vida
Você quer ser diferente, diferente?
Tente contar a verdade
As batalhas da sua juventude
Porque isso é só um jogo

É uma bela mentira
É uma perfeita negação
Apenas uma linda mentira para se acreditar
Tão linda,linda mentira, isso me faz...

É hora de esquecer o passado
Passar uma borracha no que aconteceu (No que aconteceu)

Você se esconde atrás de um rosto vazio
Não tem muita coisa a dizer
Porque tudo isto é só um jogo

É uma bela mentira
É uma perfeita negação
Apenas uma bela mentira para se acreditar
Tão linda, linda mentira, isso me faz...

Todo mundo está olhando para mim
Estou andando em círculos,querida
Um secreto desespero está crescendo
Eu tenho que me lembrar isso é só um jogo

Tão linda, linda
Tão linda, linda, é uma linda mentira...
Tão linda, linda, é uma linda mentira...
Tão linda, linda, é uma linda mentira...
Tão linda, linda Mentira...

É uma bela mentira
É uma perfeita negação
Apenas uma linda mentira para se acreditar
Tão linda, linda mentira, isso me faz...

cai nAs Mentiras Que Me Deste


Sobre Fins (Decepção: parte 1)
Alexandre Ferreira

Se conheceres um dia a verdade
Manda-lhe um beijo de saudade
Pois com tudo que fizeste
Desacreditado em tudo estou

Coração enganado pela maldade
Acreditei na tal feliz eternidade
Cai nas mentiras que me deste
Agora nessa via escura eu vou

Creditei minhas crenças em igualdade
Quisera poder encontrar felicidade
Avisei-lhe sobre a dor, me negaste
Resta apenas o medo que ficou

Se conheceres um dia a saudade
Viva essa única verdade
Se um dia realmente me amaste
Sofra pelas mentiras que me doou

Se conheceres um dia a felicidade
Diga-lhe que tenho vontade
De toca-la em seu manto celeste
E ter a cura para um coração que chorou.

5 de mar de 2010

Citação do Dia

"Mentiras e meias verdades podem abrir uma ferida na mais sólida união, como as ondas que, lentamente, abrem fendas nos rochedos. Ser infiel à franqueza é, de repente, ter o véu do romance cortado pela lâmina da separação!"

Inácio Dantas (Escritor Brasileiro)

3 de mar de 2010

Vive como Dormido...


Talvez
Amado Nervo (Tradução de Amado Miranda)

Talvez já não lhe importe meu gemido
lá nesse indiferente Éden calado
no qual o espírito desencarnado
vive como dormido...
Talvez nem saiba o que tenho chorado
e o que tenho sofrido.

Em profundo quietismo,
sua alma, que antes me amara sobretudo,
já desliza glacial por esse abismo
de perpétuo mutismo,
esquecida de si, de mim, de tudo...

Hoje Vou te fazer Chorar


Canção Pra Você Viver Mais
Pato Fu

Nunca pensei um dia chegar
E te ouvir dizer:
Não é por mal
Mas vou te fazer chorar
Hoje vou te fazer chorar

Não tenho muito tempo
Tenho medo de ser um só
Tenho medo de ser só um
Alguém pra se lembrar
Alguém pra se lembrar
Alguém pra se lembrar

Faz um tempo eu quis
Fazer uma canção
Pra você viver mais
Faz um tempo que eu quis
Fazer uma canção
Pra você viver mais

Deixei que tudo desaparecesse
E perto do fim
Não pude mais encontrar
O amor ainda estava lá
O amor ainda estava lá

Faz um tempo eu quis
Fazer uma canção
Pra você viver mais


Faz um tempo eu quis
Fazer uma canção
Pra você viver mais
Faz um tempo eu quis
Faz um tempo eu quis
Você viver mais

2 de mar de 2010

Aos Opostos da Vida



Era um jovem, e como jovem não via o mundo como um lugar pra ser levado a sério. A música alta, as pessoas pulando, isso lhe chamava atenção. Brigava com os pais e xingava os irmãos, vivia seu mundo de festas de emoção, não a vida triste que seus pais levavam em vão. Acreditava que vida seria curta, que poderia morrer daqui um ano, um mês, um dia, agora... Afastava esses pensamentos com a batida rápida que o coração batia para acompanhar a música. Sorria aos desconhecidos, apertava a mão de novos amigos, desprezava a mãe, provocava o pai, era um jovem em descensão.
Teve várias paixões, vários corpos em seu colchão, vários prazeres em suas mãos, mas era um jovem e como principal característica vinha tatuada em seu corpo a insatisfação.
Criou inimigos e velou o corpo morto de vários amigos... As pesquisas dizem que quem mais morre são os jovens, o futuro do mundo é morto e ele em breve seria mais um número nas estatísticas.
E pra que se preocupar? Não se sentia amado por sua família, morria de amores de um só dia e só o que sua mente e corpo pediam, era mais uma música para terminar a noite. E a noite se passava com bebidas no copo, misturas de corpos e os amigos mortos, enterrados e esquecidos.
A morte dos amigos nunca pesou-lhe como cruz as costas, eles morreram como ele desejava morrer, com um sorriso na boca e sem ter tempo pra sofrer. Invejava os amigos mortos, a vida não lhe satisfazia, mas enquanto a vivia preferia manter-se embriagado, mergulhado em música alta... Isso o fazia esquecer, ou apenas não pensar.

O tempo passou e a morte não veio, seus pensamentos mudaram... Largou os conflitos, arranjou um amor. Entregou flores a mãe e deu um abraço amoroso no pai. Os irmãos o visitam no domingo e os amigos são bons e velhos amigos. Quando jovem, sempre perguntou-se o que fazia de um homem, um homem. Hoje a resposta brinda-o todo dia nos olhos de seu filho, na voz fina que lhe chama "pai", no sorriso amoroso de sua mulher servindo o jantar, no emprego bom que lutou para arranjar. Hoje sabe ser um homem, e seguindo seus antigos amigos o jovem que era morreu e foi enterrado, esquecido e amargado.
Ter um filho deu-lhe a obrigação de ter um amor. "Um homem só começa a amar quando se sente obrigado a fazer isso", era essa frase que seus pensamentos diziam ao entardecer, sentado a frente de sua casa, vendo o sol se pôr, indagando porque tão belo era o céu antes de morrer e dar lugar a mais uma tenebrosa noite. Seu filho cresceu e fe-lo sofrer como seu pai sofreu, percebeu que os jovens são todos iguais e que um coração só cresce quando quer. Seu principal problema era pensar demais, tentava encontrar a resposta em tudo o que fazia, cuidava seu jardim durante o dia, o silêncio era terapia e sua mente viajava. Via o céu entardecer e durante a noite abraçava o corpo de sua mulher. "Depois que aprende a amar, o homem ama até ser capaz de chorar"

Quando seu filho foi embora, sentiu um vazio se apoderar do seu peito. A mulher solitária era agora lembrada apenas quando o desejo vinha lhe bater na cabeça. Tentava mudar isso que agora era rotina. Via-a solitária, amargurada ao assistir a felicidade em novelas, mas não se lembrava onde guardou sua responsabilidade, em qual das gavetas seus papel de homem fora esquecido. O ninho agora era vazio e seu peito se esvaziou junto dos anos. Os mesmos anos que trouxeram de repente o homem de volta.
Esse dia era cheio de chuva, todos o abraçavam e entregavam seus lamentos. Olhou para o rosto dela que parecia tão tranqüilo, mas a razão lhe jogava a verdade por dentro dos olhos e sabia que o coração dela era infeliz. A culpa de deixa-la morrer infeliz deu lugar a velha raiva juvenil, brigou com os filhos e com seu jardim. Matou as flores fez o sol não mais vir belo como antes.
Um dia antes do dia que sempre esperou uma frase formou-se em sua mente e depois tomou seu coração. "Um homem nunca aprende a amar nada além de si mesmo". Ao constatar essa, que era sua verdade absoluta, ele chorou feito uma criança e não parou de derramar suas lágrimas até o seu dia final chegar. E chegou tranqüilo, sem bater na porta, sem fazer alarde.
Morreu ao perceber que é tudo tão errado. "O homem só é capaz de se sentir satisfeito ao fazer alguém sofrer" Depois disso, sua voz perdeu a força e seu coração se contraiu. A dor de todos que fez sofrer, doeu em seu corpo. Ele morreu.